sábado, 6 de Setembro de 2014

Amor - XLVI






Caribaci
Amor
(a partir de um vídeo de Vhils (Alexandre Farto) - Exposição Dissection 
Museu da Electricidade - Lisboa)
(2014)

Branco - MXLII

Coimbra, 20 de Fevereiro de 1969 - Que insondável mistério é um ser humano! Quanto mais vivo e convivo - a observar homens sãos e doentes -, mais se arreiga no meu espírito a convicção de que nunca consegui conhecer verdadeiramente nenhum. O que dizemos e o que fazemos pouco ou nada revelam de nós. Por mim falo. Converso, escrevo páginas maciças de confissão, actuo, pareço transparente. E quem um dia quiser saber o que fui, terá de me adivinhar...



Miguel Torga
Diário XI, 2ª ed. revista, Coimbra, 1991

quarta-feira, 3 de Setembro de 2014

Artur Mendes



Alexander Glazunov
Concerto em Mib para Saxofone e Orquestra op. 109
(1934)


Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Hakan Sensoy (dir.)
Artur Mendes (saxofone)
(2014)

terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Branco - MXLI


A desobediência civil não é o nosso problema. O nosso problema é a obediência civil. O nosso problema é que pessoas por todo o mundo têm obedecido às ordens de líderes e milhões têm morrido por causa dessa obediência. O nosso problema é que as pessoas são obedientes por todo o mundo face à pobreza, fome, estupidez, guerra e crueldade. O nosso problema é que as pessoas são obedientes enquanto as cadeias se enchem de pequenos ladrões e os grandes ladrões governam o país.
É esse o nosso problema.



Howard Zinn
Disobedience and Democracy: Nine Falacies on Law and Order"
(1968)

segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

Amor - XLV


Eu nunca fiz senão sonhar. Tem sido esse, e esse apenas, o sentido da minha vida. Nunca tive outra preocupação verdadeira senão a minha vida interior. As maiores dores da minha vida esbatem-se-me quando, abrindo a janela para dentro de mim pude esquecer-me na visão do seu movimento.
Nunca pretendi ser senão um sonhador. A quem me falou de viver nunca prestei atenção. Pertenci sempre ao que não está onde estou e ao que nunca pude ser. Tudo o que não é meu, por baixo que seja, teve sempre poesia para mim. Nunca amei senão coisa nenhuma. Nunca desejei senão o que nem podia imaginar. À vida nunca pedi senão que passasse por mim sem que eu a sentisse. Do amor apenas exigi que nunca deixasse de ser um sonho longínquo. Nas minhas próprias paisagens interiores, irreais todas elas, foi sempre o longínquo que me atraiu, e os aquedutos que se esfumam — quase na distância das minhas paisagens sonhadas, tinham uma doçura de sonho em relação às outras partes de paisagem — uma doçura que fazia com que eu as pudesse amar.


Fernando Pessoa
O Livro do Desassossego

http://arquivopessoa.net/textos/4209



sábado, 30 de Agosto de 2014

Branco - MXL


Lugares


Por onde ande
todas as idades
a "vasta literatura
do silêncio"
as ciências.

Neste papel escrito
uma certeza.
Naquele lugar 
sem nome
toda a esperança.


A. Oliveira
Lugares de Rio


Amor - XLIV



Claudio Monteverdi
Sì dolce è 'l tormento
(1624)
Franco Fagioli 


quarta-feira, 13 de Agosto de 2014

Azul - MXLIV



A sonda Curiosity captou uma fotografia que pode ficar para a História: o planeta Terra é o astro mais brilhante do anoitecer marciano e seria visível a olho nu se por lá houvesse habitantes. (...)
Pela falta de resolução estas imagens dificilmente se vão tornar tão icónicas como algumas que foram tiradas, por exemplo, do planeta Terra a partir da perspetiva da Lua ou da Estação Espacial Internacional. Mas fica o registo de como seria ver o "berlinde azul" a partir de Marte. (...)


http://tek.sapo.pt/multimedia/terra_e_uma_estrela_de_fim_de_tarde_quando_vi_1364537.html


terça-feira, 12 de Agosto de 2014

Preto e Branco - LXXVI



Teatro do Vestido
(Joana Craveiro, Tânia Guerreiro, Gonçalo Alegria)
Monstro
Citemor - 2012

(...) O país onde nascemos está a saque. A nós dizem-nos que emigremos, e que o desemprego pode ser um momento de grande criatividade, e dizem-nos mais coisas do domínio do absurdo que nem vale a pena reproduzir. E nós, fechados no presente eterno, sem memória do passado, dizemos: para o diabo com a vossa condescendência, o vosso risco ao lado no cabelo penteadinho, do alto do qual nos dizem que é inevitável. Para o diabo com a delapidação da nossa dignidade, dia a dia, como quem nos faz pagar uma promessa da qual não temos memória de ter feito. (...)



Teatro do Vestido

http://www.citemor.com/anteriores/Citemor-2012/teatro-do-vestido


quinta-feira, 31 de Julho de 2014

Vermelho - LXXI

"Isto é coral vermelho!" A segurar uma pequena amostra do que foi recolhido no fundo do mar, é assim que Joana nos apresenta aquele bem precioso, a rama que os pescadores algarvios costumam trazer agarrada às redes, sem saberem que há quem pague milhares para ter uma joia daquela cor. "Aqui só soubemos da sua existência depois de anunciarem a detenção de uma rede ilegal", conta a bióloga, a lembrar a notícia de há dois anos, segundo a qual a polícia marítima apanhou três portugueses e três espanhóis com 32 quilos do precioso coral que, no mercado paralelo, pode render mil euros por quilo. (...)

É esta equipa que lança o Projeto Baseline , em 2009, uma iniciativa a decorrer em 23 países, com o objetivo de mapear e documentar recifes profundos e as formas de vida que abrigam. Este ano, saíram dos EUA no início de junho e, depois de um primeiro mergulho nos mares das Bahamas, seguiram para os Açores e, depois, para o Algarve, sempre em parceria com equipas de cientistas locais. (...)


 http://visao.sapo.pt/em-busca-do-coral-vermelho=f791208#ixzz392zVETIs





http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=40978&op=all


domingo, 27 de Julho de 2014

Azul - MXLIII



Ana Moura
Rumo ao Sul
(Carlos Viana - música; Jorge Fernando - letra)
(2009)


Azul - MXLII


Plêiades

http://pt.wikipedia.org

Preto - XXXVIII


Quem somos? Meros grãos de pó num deserto cósmico ilimitado.


Jorge Calado
Jornal Expresso
(2013)

Cores



No final de Junho de 2013, um binário excepcional contendo uma estrela de neutrões veloz e rodopiante sofreu uma mudança dramática de comportamento, mudança esta nunca antes observada. De acordo com o Telescópio Espacial Fermi da NASA, o "farol" de rádio do pulsar desapareceu e, ao mesmo tempo, o sistema aumentou cinco vezes de brilho em raios-gama, a forma mais poderosa de radiação electromagnética. (...)

Um sistema binário é composto por duas estrelas que orbitam em torno do seu centro de massa comum. Este sistema em particular, conhecido como AY Sextantis, está localizado a cerca de 4000 anos-luz na direcção da constelação de Sextante. O par é constituído por um pulsar de 1,7 milissegundos, chamado PSR J1023+0038 - ou J1023 - e por uma estrela que contém aproximadamente um-quinto da massa do Sol. As estrelas completam uma órbita em apenas 4,8 horas, o que as coloca tão próximas que o pulsar está gradualmente evaporando a sua companheira. (...)


http://www.ccvalg.pt/astronomia/noticias/2014/07/25_pulsar_j1023.htm

sábado, 26 de Julho de 2014

Vermelho - LXX



Jean-Philippe Rameau
Platée (Acto II:  Formons les plus brillants concerts...Aux langueurs d'Apollon )
(1745)

Patricia Petibon (La Folie)
Le Concert D'Astrée
Emmanuelle Haïm (dir.)

(2011)